Tratamento Não Cirúrgico

Pesquisas já confirmaram que em somente 10% dos casos de hérnia de disco há necessidades cirúrgicas. A maioria é curada com terapias não agressivas.

Cerca de 5,4 milhões de brasileiros sofrem de hérnia de disco, um problema que acontece quando há projeção ou saída da estrutura que existe entre as vértebras da coluna, o disco intervertebral. Esta e outras doenças que afetam a coluna vertebral são responsáveis, em muitos casos, por extrema dor, exigindo por diversas vezes o afastamento dos pacientes de suas atividades diárias e estando entre as principais causas de licença no trabalho.

Comumente, pessoas que sofrem com patologias na coluna vertebral são encaminhadas às cirurgias corretivas como opção única para o tratamento da doença. Mas, em geral, como toda operação, esse procedimento implica riscos: reações à anestesia, probabilidade de infecções ou agravamento do quadro, por exemplo.

QUANDO A INDICAÇÃO CIRÚRGICA É PRECIPITADA

Pessoas com suspeita de hérnia de disco são diagnosticadas em, apenas, 1% a 5% dos casos com a patologia. A maior parte não tem hérnia discal, mas sim outros problemas, como o famoso bico de papagaio, ou seja, a falência estrutural ou funcional dos discos intervertebrais.

Essas pessoas não precisam de maneira nenhuma fazer cirurgia. O diagnóstico da hérnia de disco está sendo feito de maneira exagerada devido ao advento da ressonância magnética e a sua indicação cirúrgica muito recorrente e desnecessária. Isso porque, frequentemente, é dito aos pacientes que ao adiarem a cirurgia eles correrão o risco de sofrer danos permanentes nos nervos e, possivelmente, o enfraquecimento dos membros inferiores ou a perda do controle sobre intestinos ou bexiga.

A cirurgia promove, aparentemente, o alívio da dor em um prazo mais curto, porém, a maioria dos pacientes acaba se recuperando de qualquer maneira com o tempo, já que em grande parte dos casos, ela desaparece com tratamentos clínicos, enquanto a cirurgia de uma hérnia de disco, por exemplo, pode resultar em dor reincidente depois de 2 a 3 anos.

A MELHOR OPÇÃO

O paciente deve decidir com calma e segurança o que deve fazer para tratar seu problema. Mas é fundamental compreender que não há urgência em operar a hérnia de disco ou outras patologias da coluna vertebral.

O paciente sempre tem a opção cirúrgica, mas o ideal é apostar no tratamento conservador antes de se submeter a uma cirurgia. Hoje, já existem diversas técnicas não-invasivas avançadas e eficazes para o tratamento dessas doenças.

MÉTODO QUE JÁ BENEFICIOU MAIS DE 30.000 PACIENTES

A Reconstrução Músculo-Articular da Coluna Vertebral foi desenvolvida pelo ITC Vertebral para o tratamento de hérnia de disco e outras lesões da coluna, como lombalgia, cervicalgia, dor ciática, protrusão discal, espondilose, artrose, etc. O método não-cirúrgico utiliza técnicas de fisioterapia manual e tecnologia durante as sessões de tratamento, metodologia exclusiva que já alcançou projeções em outros países.

Saiba mais sobre a RMA da Coluna Vertebral

Tratamento NÃO cirúrgico para
Hérnia de Disco e Dor Ciática

Conheça o Tratamento

Receba mais informações sobre Dor nas Costas
gratuitamente em seu e-mail.