Obesidade e a dor nas costas

A obesidade ocorre quando a ingestão de alimentos é maior que o gasto energético do organismo para sua manutenção e realização das atividades do dia a dia.

Estudos têm demonstrado a relação dessa doença com o predomínio de dor nas costas. Alertando para o fato do excesso de peso ser prejudicial à saúde da coluna vertebral.

obesidade-dor-nas-costas

O que a ciência diz?
Um importante estudo denominado: A atividade física influencia a relação entre dor lombar e obesidade?, premiado pelo The Spine Journal, traz dados consistentes sobre o quão a obesidade é um fator predisponente para dor nas costas.

Para obter tal precisão nos dados, foi realizado um estudo de base populacional transversal. Tal estudo avaliou quanto ao estado de dor lombar através de um questionário e o IMC. Dessa forma, os participantes foram divididos em quatro grupos (peso normal, com IMC entre 20-25; sobrepeso, IMC entre 26-30; obesos, com IMC entre 31-35; obesos mórbidos, com IMC maior que 36). A prática da atividade física também foi monitorada.

Os dados permitiram aos pesquisadores concluírem que, na população estudada, o menor risco de dor lombar estava no grupo com IMC normal: 2,9%; sendo o risco de 5,2% de dor no grupo com sobrepeso; de 7,7% para obesos e de 11,6% para obesos mórbidos.

Os hábitos também podem influenciar na dor
O fumo demonstrou ser um grande preditor de dor lombar, além do sedentarismo, principalmente nos indivíduos com IMC mais elevados. Isso quer dizer que, hábitos não saudáveis, como o fumo, e não praticar atividades físicas, têm um maior peso na saúde da coluna dos indivíduos com sobrepeso ou obesos.

As boas notícias!
Porém, apesar dos fatores desanimadores, o estudo demonstrou que grandes ganhos podem ser adquiridos através da prática de atividades físicas, ou pequenas mudanças nas atividades rotineiras.

Quando um indivíduo deixa de ser sedentário, praticando exercícios físicos, mesmo que simples atividades domésticas, pode reduzir o risco de dor nas costas em 17%.

Para aqueles que já possuem excesso de peso, aumentar a quantidade de tempo de uma atividade física moderada (como por exemplo, caminhada, hidroginástica, andar de bicicleta e dança) por mais de 20 minutos por dia, pode reduzir o risco de dor lombar em 32%.

Dar um pouquinho mais de si pode fazer a diferença
Ir um pouco além nos exercícios, principalmente aeróbicos, traz inúmeros benefícios. Para os obesos mórbidos, se estenderem a duração média de tempo gasto para fazer uma atividade moderadamente intensiva por pelo menos um minuto adicional a cada vez que o exercício é realizado reduz as chances de ter dor nas costas em 38%.

 

Tratamento NÃO cirúrgico para
Hérnia de Disco e Dor Ciática

Conheça o Tratamento

Receba mais informações sobre Dor nas Costas
gratuitamente em seu e-mail.