A importância do diagnóstico exato

Pessoas com suspeita de hérnia de disco são diagnosticadas em, apenas, 1% a 5% dos casos com a patologia. A maior parte não tem hérnia discal, mas sim outros problemas, como o famoso bico de papagaio, ou seja, a falência estrutural ou funcional dos discos intervertebrais.

Muitas vezes, o sintoma que o paciente acredita ser de determinada doença é, na verdade, decorrente de outro problema que pode ser de resolução mais simples ou mais grave. Daí a necessidade de um diagnóstico exato e precoce. No ITC Vertebral, nenhum paciente é submetido ao tratamento antes do primeiro passo (insubstituível): a avaliação. Um especialista da equipe realiza todo o procedimento para identificar o problema a ser tratado, as necessidades específicas para o quadro daquele paciente e as limitações apresentadas pelo mesmo. Uma vez realizado esse passo inicial, o atendimento é direcionado ao paciente com uma maior garantia de resultados seguros com o tratamento.

importância-diagnóstico-exatoNOSSO PROGRAMA DE TRATAMENTO

O programa desenvolvido pelo ITC Vertebral é exclusivo! O grande diferencial desse programa está em o fisioterapeuta (especialista em coluna) assumir todas as etapas do tratamento até o momento da alta do paciente (inclusive, comunicando ao mesmo o tempo de duração do tratamento e previsão de alta) – e o mais importante: acompanhar e monitorar o paciente no pós-tratamento, por meio de uma manutenção permanente de exercícios específicos e preventivos para evitar novas recorrências dos problemas que já foram tratados.

Isso significa que no ITC Vertebral o paciente recebe todo o suporte necessário a obtenção de resultados seguros, sendo acompanhando, efetivamente, no momento da avaliação, durante todos os procedimentos realizados no tratamento e, a seguir, no encaminhamento para a prática de uma atividade física que irá manter os resultados obtidos pelo tratamento fisioterapêutico e médico (exercícios de Pilates ou de musculação).

TÉCNICAS DO PROGRAMA DE TRATAMENTO DO ITC VERTEBRAL

Não se trata de uma sequência linear das etapas do tratamento. O uso de uma técnica ou outra vai depender do quadro clínico de cada paciente. Em alguns casos, a maior parte dessas técnicas não é utilizada, tudo é proporcional ao progresso do paciente durante o tratamento.

Fisioterapia manual: movimentos de mobilização articular são realizados através de pequenas trações manuais e deslizamento entre as estruturas e podem diminuir a dor, o espasmo muscular e o edema, melhorando, dessa maneira, a mobilidade sem alongar os tecidos.

Mesa de tração eletrônica TRITON DTS: possui um mecanismo de deslizamento com molas que controlam o atrito do paciente sobre a mesa e garante progressão segura e suave nos processos de aplicação e retirada de carga de tração.

Mesa de flexão e descompressão: aplica-se uma força de descompressão associada à flexão da coluna vertebral exatamente no nível a ser tratado.

Estabilização vertebral: há o fortalecimento dos músculos profundos da coluna vertebral e melhoria do grau de estabilidade vertebral.

Após o término das sessões previstas, o paciente é encaminhado para uma prática de exercícios físicos, como o Pilates ou musculação, para manter os benefícios decorrentes do tratamento.

Tratamento NÃO cirúrgico para
Hérnia de Disco e Dor Ciática

Conheça o Tratamento

Receba mais informações sobre Dor nas Costas
gratuitamente em seu e-mail.